Décor do dia: móvel simples com parede de flamingos

Papel de parede ousado traz personalidade para ambiente neutro

Um papel de parede de impacto é o suficiente para transformar completamente um ambiente, como é o caso da imagem acima. Um móvel branco, neutro e minimalista, destinado a cuidados estéticos, ganha charme instantâneo ao ser acompanhado pelo papel de paredes de flamingos da Albany Wallpapers, que pode ser comprado na internet pelo site da Domino. Irresistível!

Azulejo de metrô: 9 ideias para adotar a tendência

Revestimento bisotado ganha destaque em cozinhas e banheiros

Os azulejos de metrô, também conhecidos no Pinterest por subway tiles, foram ressurgindo aqui e ali até se tornarem uma verdadeira febre quando se fala de revestimentos para o banheiro e para cozinha. Com ar cool e visual retrô, eles conquistaram as paredes das casas mais descoladas dos dias de hoje, apesar de terem estreado nas estações de metrô de Nova York no início do século 20.

Com sua forma retangular e cantos bisotados, eles mesclam atmosfera contemporânea com perfume vintage. Apesar de serem vistos principalmente na cor branca, também podem ser coloridos ou pretos, além de possibilitarem usos diferentes do usual. Para trazer inspiração na hora de usar os tão falados azulejos de metrô, reunimos aqui 9 formas aplicá-los. Veja abaixo!

1 – Azulejos brancos na companhia da madeira

Na cozinha deste apartamento de 45 m² criado por Juliana Sica, os azulejos de metrô aparecem na sua forma mais clássica – brancos e com rejunte escuro – mas ganham contemporaneidade ao serem confrontados com o calor dos armários laminados em madeira e com o brilho das portas de vidro. Para completar, elementos azuis pontuam cor no espaço.

2 – Banheiros com visual clean

O revestimento ganha mais leveza ao receber rejuntes claros, assim como no banheiro deste apartamento criado por Priscila D’Attilio com decoração inspirada na escandinava. O leve relevo que o azulejo possui traz um pouco de brilho ao espaço enquanto faz um contraponto minimalista ao piso de ladrilho hidráulico.

Já neste banheiro, a proposta ganha ainda mais informação visual. O revestimento cobre apenas metade da parede, permitindo que a luminosidade do branco seja aumentada. Os espelhos hexagonais com moldura dourada trazem uma boa dose de sofisticação e charme geométrico.

3 – Atmosfera clássica

Neste banheiro vintage, a combinação clássica de azulejos brancos e rejuntes pretos ganha a companhia de detalhes dourados e madeira tonalizada de azul. Apesar do combo de elementos do passado o arranjo é bem atual.

Já este banheiro criado pelo arquiteto Rodrigo Cunha traz o revestimento de forma inusitada, decidindo espaço com cimento queimado.

4 – Versão colorida

Neste um apartamento cheio de tons vibrantes em Bristol, nada mais natural que usar o azulejo de metrô em versão colorida. Aqui, ele aparece contrastando com os armários amarelos e vermelhos.

5 – Colocados na vertical

Nesta cozinha, parte de um especial de cozinhas que abusam das cores, não é apenas o amarelo vibrante que transforma o revestimento bisotado. Aqui, ele foi aplicado na vertical, criando um resultado completamente diferente.

6 – Ambiente sofisticado

Este banheiro, parte de um apartamento cheio de cores vibrantes criado pelo escritório Marcante-Testa, mostra que o uso de materiais e revestimentos pode transformar um projeto. Colorido e aplicado na vertical, o azulejo de metrô, neste caso, passa longe de transmitir uma estética do passado. Muito pelo contrário:somado ao espelho geométrico e à bancada minimalista, traz ares de futuro.

7 – Mood industrial

Em um apartamento com decoração exótica e adulta criado por Gabriel Valdivieso e Rodrigo Martins, nada mais natural que apostar no azulejo de metrô para a cozinha. Mas em companhia de pastilhas pretas no piso, teto de concreto e tubulações aparentes, ele assume muito bem seu lado industrial.

8 – Junto a materiais calorosos

Nesta cozinha, vinda de um especial que ensina a usar objetos vintage para usar na decoração, o azulejo de metrô completa a cartela eclética de revestimentos. Madeira, ladrilho hidráulico, tijolos aparentes e móveis feitos de metal se unem em um mix que funciona e traz calor.

9 – Minimalismo rústico

Nesta cozinha rústica e clean, o azulejo de metrô traz à tona uma das características que o tornaram um sucesso no passado: prático, lavável e limpo. Assim, torna-se o material ideal para fazer companhia às bancadas de linhas retas feitas de madeira.

Edifício em formato de U promete ser o mais longo do mundo

A ousada proposta de 1,2 km tenta burlar a altura máxima permitida para os prédios de Manhattan, em NY

Em Nova York, assim como diversos lugares do mundo, existe um limite estabelecido para a altura dos arranha-céus. O World Trade Center, por exemplo, tem 541,3 m. Parece muito, mas o Oiio Studio, um escritório de arquitetura local, propôs uma ideia ainda mais ousada, visando quase dobrar este valor sem infringir as leis. Eles elaboraram um projeto onde o edifício, de aproximadamente 1,2 km, é disposto no formato de um U.

Big Bend é o nome do projeto pensado para a Billionaires’ Row, região da rua 57 próxima ao Central Park e que já é conhecida pelos prédios altíssimos. Para se ter uma ideia, seu tamanho é ainda maior que o Burj Khalifa, em Dubai, considerado o maior prédio do mundo com seus 828 metros.

“Se conseguimos dobrar a nossa estrutura em vez de dobrar as regras de zoneamento de Nova York, seríamos capazes de criar um dos edifícios mais prestigiados em Manhattan. O edifício mais longo do mundo. O Big Bend pode se tornar uma modesta solução arquitetônica para as limitações de altura de Manhattan”, descrevem os arquitetos.

Além do formato ousado, o escritório ainda lidaria com outro dilema: criar um elevador que, além de se mover verticalmente, precisariam também trabalhar na horinzontal. Por enquanto, a ideia ainda segue no papel – os arquitetos buscam um investidor para tal empreitada superlativa.

Portas de correr: uma opção elegante para driblar a falta de espaço

Elas podem tanto dividir quanto integrar os mais variados ambientes, como cozinhas, salas, banheiros e áreas externas.

Hoje, as portas de correr fazem parte de muitas residências, dividindo ou integrando variados ambientes, com elegância e sem ocupar tanto espaço.

Ótimas aliadas da decoração, as portas de correr se deslocam sutilmente na horizontal, e podem ser usadas em todos os tipos e tamanhos de ambientes e, no caso dos ambientes pequenos, têm ainda a vantagem de contribuir para a otimização do espaço.

Atualmente, existem diversos modelos de portas de correr. Mas, os mais utilizados hoje são os de tamanhos grandes, que permitem que a porta fique fixada no teto e seja sem trilho na parte de baixo (só uma guia bem discreta no cantinho da parede).
As portas de correr podem ainda ser feitas de diversos materiais, como madeira ou mdf com acabamento laqueado, madeira natural (lisa ou com frisos), vidro (de diversas cores) e outros mais. Assim, permitem mil e uma possibilidades e agradam a todos!

Como usar portas de correr em diferentes ambientes

 

As portas de correr podem ser usadas na cozinha, nas salas, nos quartos, nas áreas externas e até nos banheiros com diferentes propostas e objetivos. De forma geral, cada tipo de ambiente exige uma atenção especial na hora da escolha.

Abaixo você confere dicas de como escolher a porta de correr ideal para os diferentes espaços da casa e pode se inspirar com lindos modelos!

Portas de correr para cozinhas

Aposta em muitas casas, as portas de correr podem ser utilizadas para separar a cozinha dos outros cômodos ou até mesmo para integrá-la a uma sala de estar com estilo. As possibilidades são inúmeras!

A arquiteta e designer de interiores Ana Rita Sousa e Silva, do escritório AR Arquitetura & Design, explica que, neste caso, é importante que as portas tenham uma abertura considerável, para que os eletrodomésticos passem por elas. O material também deve ser resistente à água e lavável.

“O puxador é outro fator muito importante neste caso, pois ele tem que ser de pegada firme, não pode ser nada escorregadio ou que a mão não consiga agarrá-lo de forma firme… Puxadores ‘cava’, por exemplo, não são uma boa opção. Prefira os de tipo alça”, destaca Ana Rita.

“Como são portas que normalmente terão uma frequência de abertura intensa, evite portas embutidas ou com trilhos embutidos que dificultem a manutenção”, acrescenta a arquiteta.

Portas de correr para salas

Uma das opções mais vistas, as portas de correr na sala proporcionam um ambiente moderno e elegante, e podem ser feitas nos mais variados materiais, sem restrições.

Ana Rita destaca que, no caso das portas de correr para salas, não existem regras! “O importante é sempre pensar na qualidade dos materiais e das ferragens, para que tenham durabilidade e sejam fáceis e leves de operar”, explica.

Portas de correr para quartos

Elas podem ser utilizadas para dividir (ou integrar) quarto e banheiro ou separar o quarto dos demais ambientes da casa. São ainda bastante utilizadas para dar passagem a varandas integradas ao quarto, especialmente as portas feitas de vidro.

Ana Rita destaca, porém, que não indica portas de correr para quartos, pois elas não são a melhor opção para isolamento acústico. “Mas, se optar por uma, evite rolamentos expostos ou portas que não tenham uma guarnição de encaixe para isolar luz e barulho”, orienta.

Portas de correr para banheiros

Opção bastante utilizada atualmente, a porta de correr dá ao banheiro um aspecto elegante e é, muitas vezes, o destaque do ambiente.

Ana Rita explica que esse tipo de porta exige os mesmo cuidados de escolha que uma porta de cozinha. “Mas, as portas de correr para banheiro devem ser ainda mais resistentes à umidade. Portas em folha de madeira natural não são recomendadas para estes espaços, pois facilmente serão danificadas pela umidade e vapor, e poderão até criar fungos”, orienta.

Portas de correr para áreas externas

Ana Rita explica que, no caso das portas de correr para áreas externas, os caixilhos devem ser de alumínio, PVC ou madeira maciça. “Hoje, não indico madeira maciça pois existem opções mais resistentes e que podem dar o mesmo efeito da madeira e são muito mais eficientes e duradouras”, diz.

“O alumínio anodizado é uma boa opção. Hoje existem também caixilhos de PVC sofisticados que recebem uma película adesiva amadeirada e, além de terem o maravilhoso aspecto da madeira natural, têm a função de isolar acústica, térmica e hermeticamente”, acrescenta a arquiteta.

Vantagens e desvantagens das portas de corre

Se você está em dúvida sobre colocar ou não este tipo de porta na sua casa ou apartamento, conheça as principais vantagens das portas de correr:

Ampliação e circulação: Ana Rita comenta que as portas de correr ampliam os espaços e facilitam as circulações.

Sem conflito de portas ou espaço: a arquiteta ressalta que, especialmente em espaços pequenos, as portas de correr são uma solução muito pertinente para evitar conflito de portas. Além disso, de forma geral, ocupam menos espaço que as portas convencionais.

Integração ou divisão de ambientes: as portas de correr têm como principal característica a vantagem de separar ou integrar ambientes, mantendo a privacidade de cada um deles quando necessário, já que fazem o papel de paredes quando estão fechada, ou possibilitando a sensação de espaços mais amplos, quando abertas.

Funcionais e bonitas: além de terem a vantagem de dividir ou integrar ambientes, as portas de correr dão uma aparência moderna e elegante às residências.

Apesar destes bons motivos para investir neste modelo de porta, Ana Rita afirma que a maior desvantagem das portas de correr é o isolamento acústico. “Por isso não indico para quartos ou salas de reunião, no caso de espaços corporativos”, diz.

Além disso, as portas de correr são feitas sob medida com marceneiros ou lojas especializadas, por isso, o custo é mais alto do que no caso de portas menores ou painéis fixos, e exigem a limpeza e manutenção dos trilhos e roldanas para que funcionem perfeitamente.

Como limpar e manter sua porta de correr em bom estado

Para que as portas de correr funcionem corretamente, a limpeza e a lubrificação dos trilhos e roldanas precisam ser constantes. Caso contrário, com o decorrer do tempo, diferentes sujidades podem se acumular nos trilhos chegando até a emperrar a porta. Neste sentido, algumas dicas práticas são:

  • Atente-se a qualidade da ferragem:: Ana Rita destaca que é importante escolher uma boa ferragem na hora de adquirir a porta e deixá-la sempre lubrificada. “Isso evitará inclusive danos nos puxadores que, normalmente, acabam por ficar bambos devido à força realizada quando o trilho não está funcionando em perfeitas condições”, diz.
  • Escolha os produtos e ferramentas com cuidado:Nunca utilize produtos abrasivos. Opte por uma escova ou pincel de cerdas macias e água com detergente neutro.
  • Primeiro, limpe com um aspirador: Para fazer a limpeza, é recomendável abrir a porta ao máximo e remover as sujidades soltas com a ajuda de um aspirador de pó. Para isso, utilize um bocal fino (facilitando a remoção dos resíduos).
  • Limpe os cantos com uma escova pequena: Para alcançar os cantos, que são de difícil acesso, use, se necessário, uma escova de dentes também embebida em água com detergente neutro.
  • Um pano sempre ajuda: Após a limpeza, use um pano seco (e que não solte fiapos) para finalizar a limpeza e secar os trilhos completamente antes de lubrificar.

Agora você já sabe: além de serem grandes aliadas na hora driblar a falta de espaço, as portas de correr podem ser utilizadas nos mais variados espaços (independentemente do tamanho), oferecendo funcionalidade e ainda proporcionando elegância aos ambientes.

Como fazer a decoração de apartamentos pequenos

Apartamentos pequenos podem ganhar muito espaço com um projeto de interiores adequado. Por menor que seja, a distribuição coerente do espaço aliada a uma escolha adequada de mobiliário permite que um apê de até 60 m² seja muito funcional e aconchegante.

Os revestimentos em cores claras também ajudam a criar uma sensação de amplitude nas paredes e no piso, deixando os tons escuros para móveis e outros objetos. Além disso, é possível revestir as paredes com espelho, do chão ao teto, para multiplicar a perspectiva de profundidade dos ambientes.

Para a distribuição do espaço, a regra mandatória é evitar o bloqueio da circulação, retirando da lista de móveis aqueles que ficam em espaços centrais. Uma distância mínima de 50 cm entre as peças de mobiliário evita esbarrões e passos apertados pela residência.

MÓVEIS MULTIUSO

É recomendado otimizar o mobiliário e dar preferência a peças multiuso – que cumprem mais de uma função e eliminam a necessidade de tantos elementos. Sofá-camaestantes divisoras de ambientes e mesas laterais que se tornam mesas de jantar são alguns exemplos. Além disso, cadeiras dobráveis para receber visitas são melhores do que sofás enormes, pois podem ficar guardadas em cantos estratégicos.

Nos quartos, as camas com gavetas embutidas são ótimas para armazenar roupas de cama, toalhas, entre outros itens. Já na cozinha, utensílios como panelas podem ficar pendurados em ganchos ou guardados em prateleiras. Tudo isso para eliminar a necessidade de armários grandes.

PAREDE TAMBÉM É ESPAÇO

Para evitar a poluição, uma dica é dispor objetos nas próprias paredes. O exemplo mais comum é a TV embutida, eliminando a necessidade de suportes que ocupam espaço. O mesmo vale para demais dispositivos eletrônicos, como roteador, videogame etc.

No mesmo sentido, nichos e prateleiras são ótimas opções para guardar discos, livros e outros objetos. Luminárias de mesa podem ser substituídas por luzes embutidas nas paredes, como as arandelas.

Prateleiras instaladas na parede otimizam ocupação do espaço.

Plantas brancas: 4 espécies para usar no seu jardim

Tipos que saem do comum e ajudam a destacar as outras plantas ao redor

Fazer a natureza mais presente na nossa vida cotidiana é uma tendência inegável, mas isso não significa que você precisa deixar, necessariamente, sua casa, ou mesmos eu jardim, muito mais verde.
Diferentemente do que propõe a Pantone ao eleger o Greenery a cor do ano,  é possível trazer a natureza mais para perto do nosso dia a dia com plantas que vão muito além do verde. É o caso destas quatro espécies de plantas brancas, que, além de saírem do comum, rendem arranjos originais e no paisagismo ajudam a destacar as outras cores do jardim.

Cinerária marítima
Cinerária marítima

Esbranquiçada e de textura aveludada, a Cinerária Marítima parece ter uma eterna camada de neve sobre suas folhas  sinuosamente recortadas. Pouco comum nos jardins, elas enchem de charme até os arranjos mais simples e ajudam a destacar as cores das flores e folhagens ao redor.  O ideal é cultivá-las sob o sol, mas elas são plantas bastante resistentes que, quando bem cuidadas, resistem ao frio e até à estiagem.

Caládio

Existem mais de mil variedades de Caládio, em comum todos tem folhas grandes e rajadas com duas ou mais cores, como o verde, o rosa, o vermelho e, claro, o branco. Além da bela folhagem, o Caládio floresce no verão, gerando uma flor parecida com lírio da paz. Já no inverno, essa planta entra em repouso e pode até parecer morta mas não se engane! Basta deixá-lo em local seco, sombreado e fresco para que ele tenha novos brotos na primavera.

Santolina

Famosa pelo deliciosos aroma, a Santolina tem porte baixo e não passa dos 90 cm de altura. Suas moitas são densas e tem folhas acinzentadas, finamente divididas e levemente pontiagudas. Já as flores, que aparecem no verão, são de um amarelo vivo e tem o formato de pequenos pompons.  Resistente à estiagens, Santolina é frequentemente usada para delimitar caminhos nos jardins e cria belos contrastes com plantas verdes e coloridas.

 

Barba-de-SerpenteMuito parecida com uma longa grama, a barba-de-serpente cresce de 20 a 40 cm de altura e apesar de comum possuí um potencial decorativo incrível, principalmente na sua versão esbranquiçada, na qual podemos ver uma fina linha creme percorrendo todo o seu comprimento. No verão ela ainda pode florescer, dando origem a delicadas flores em formato de sino. Bastante resistentes elas são ótimas para locais muito ensolarados ou pouco sombreados, como a base de árvores.

Madeira tonalizada na sala de estar

Itens minimalistas ganham cor em objeto inusitado

Mentes criativas costumam povoar suas residências com boas ideias, e no caso do designer belga Michael Verheyden, não é diferente. Em sua sala de estar, criações de linhas simples ganham a companhia de acabamentos luxuosos e inusitados: a espreguiçadeira desenhada por ele surge com encosto feito de couro, a luminária minimalista desfila o brilho dourado e o armário tradicional guarda para si um trunfo inesperado: sua superfície de madeira vem tonalizada de azul, mas sem esconder a textura natural do material.

O styling, feito por Helle Walsted, reserva mais boas ideias: ao lado do assento, uma pilha de livros faz as vezes de mesa de apoio enquanto um conjunto de vasos sobre o armário traz tons terrosos, assim como o tapete. O resultado é despretencioso, mas cheio de personalidade!.

Casa pré-fabricada foi construída em apenas 10 dias

Com uma área de aproximadamente 110 m², esta casa modulada pré-fabricada da DublDom está dando o que falar na Rússia. Construída no meio de uma floresta em Kazan, o projeto da Bio Architects tem como objetivo diminuir os custos de construção com o uso de materiais simples como metal, vidro e madeira.

Além de barato, esse tipo de material ajuda a compor o design elegante e moderno da construção. As casas pré-fabricadas da DublDom são feitas com peças modulares e remodeladas. A área dos projetos disponíveis variam entre 26 m² e 110 m², com valor estimado entre US$ 23.000 e US$ 100.000.

Com 8 ambientes, esta casa pré-fabricada construída em Kazan demorou apenas 10 dias para ficar pronta. As paredes de vidro e as claraboias foram as responsáveis por deixar o ambiente contemporâneo e repleto de luz natural.

O interior, feito de madeira de pinho maciça, faz você se sentir como se estivesse morando no meio da floresta ao ar livre. Um terraço de 62 m² também faz parte do projeto.

Samambaia: ela voltou para ficar

A planta tem um forte apelo emocional; saiba como cuidar

Nos anos 80, toda casa tinha uma samambaia. A espécie foi deixada de lado por um tempo, mas, de uns anos para cá, voltou a aparecer em ambientes internos e até em jardins projetados por paisagistas famosos. Se voltar a ter plantas em casa, de modo geral, é uma tendência, a samambaia tem um componente a mais: ela nos faz lembrar nossos avós.

“O ritmo de vida acelerado fez com que perdêssemos o contato com as plantas e com ele o conhecimento empírico que os nossos avós tinham”, opinam as arquitetas Denise Yui e Julia Rettmann, da Selvvva, de São Paulo. “Cada vez mais estamos tomando consciência da boa influência das plantas nos ambientes. Qualquer lugar fica mais aconchegante com plantas.”

Em fotos de decoração, esse bem-estar fica evidente. “Quando vemos uma imagem de um ambiente cheio de verde, mais do que ‘que bonito’, o que vem à cabeça é: ‘que gostoso!’”, dizem. Prova disso é que, além de decorar, as plantas são capazes de mudar até a energia dos ambientes, conforme apontam especialistas em fitoenergética.

Assim, ter plantas em casa acabou virando uma tendência não só em decoração, mas um estilo de vida. “Cuidar de uma planta significa uma pausa no cotidiano agitado.”, diz Denise. “Junto com esse movimento, as samambaias voltaram com um forte apelo emocional, nos lembrando com carinho as nossas avós”, comenta a arquiteta. Antes de comprar uma samambaia, veja a seguir quais são os cuidados necessários e se esta é a planta ideal para ser cultivada na sua casa.

Como cuidar de uma samambaia

1. Elas preferem ambientes bem iluminados, mas sol direto pode queimar as folhas

2. Não gostam de vento forte, mas precisam estar em locais bem arejados

3. As regas devem ser frequentes, mantendo o substrato sempre úmido, mas não encharcado; por isso é importante um substrato com boa drenagem (fibra de coco é uma opção)

4. Adora receber água nas folhas – pulverizar água é importante, principalmente em períodos de baixa umidade do ar

Arquiteto cria casa na árvore, inspirado na imaginação infantil

Por que não morar em árvores? O arquiteto canadense Rocky Ehlers se inspirou no sonho de crianças de todo o mundo e decidiu tentar. Criou, no parque Enchanted Forest (do qual é diretor), na província da Colúmbia Britânica, no Canadá, uma casa que mistura aço fino, madeira de cedro e fibra de vidro com a vegetação da floresta tropical.

O resultado mostra que a imaginação infantil pode ganhar contornos reais se ganhar alguma atenção e dedicação por parte dos adultos. Para as crianças que visitam a instalação, a obra é um um pouco do mundo de fadas na vida real. Elaborada por uma combinação de vigas de madeira e troncos de árvores reais, uma escada em espiral liga uma série de níveis interdependentes, criando, ao longo do caminho, diversos quartos semi-autônomos e pisos variados. Cada ambiente revela novas vistas e espaços. A construção durou um ano.

“As pessoas não querem apenas olhar para as árvores. Desejam estar dentro delas. É um sentimento infantil, mas que relutamos em perder. Eu, assim como muitas pessoas, não cresço”, revela Ehlers.

Mas nem tudo foi fácil. O governo canadense é rígido quanto a construções sobre árvores. Ao ponto de muitos engenheiros terem desistido da ideia. A solução encontrada foi criar uma série de plataformas em torno da árvore. De maneira que esta não é atingida e, mesmo que venha a cair, não cause impacto na obra.

Outra preocupação foi com as chuvas. No Canadá, assim como no Brasil, as madeiras apodrecem muito rápido quando molhadas. Para cobrir as plataformas, foram construídos telhados e paredes que protegem o material da instalação e mantêm a estrutura seca.

“Por fim, achamos interessante fazer a estrutura de uma maneira que não fosse reta. Então, realizamos tudo de maneira um pouco torta, mas que se adequasse a essa força que é a natureza”, conta.

Animado com a entrevista para um jornal brasileiro, Ehlers jura que tem o sonho de vir ao Brasil para projetar mais casas em árvores que, garante, são bem mais bonitas que as de seu país. “Vocês têm árvores de verdade. São fontes de vida. Turistas viriam de diversos pontos para admirar as construções”, brinca.